Dois millennials estão treinando.
Fonte: Pixabay

Geração Y, geração da internet, geração do milênio ou, simplesmente, millenials, as pessoas que nasceram entre o período da década de 80 até aproximadamente os anos 2000 (não há consenso entre os especialistas) causaram muitas mudanças em nossa sociedade, tornando-se jovens e adultos com hábitos e tradições bem diferentes da geração anterior, a geração X.

Por motivos óbvios, os millenials influenciaram uma mentalidade social mais moderna e presenciaram diversos avanços tecnológicos, como o surgimento dos smartphones, que possibilitaram coisas incríveis como os jogos de roleta online! Além disso, diversos tabus foram derrubados e, ao decorrer da última década, a sociedade assistiu a mudanças significativas em sua estrutura.

Pronto para casar-se?

Possivelmente uma das mudanças mais fáceis de perceber, a geração Y transformou significativamente a celebração do casamento. Primeiro, um número menor de pessoas está ligado a tradições religiosas, de forma que a celebração em si – quando ocorre – aderiu a alternativas fora da igreja, como casamentos na praia, sítio e, muitas vezes, somente na presença de um juiz de paz ou celebrante.

Além disso, a faixa etária média na qual as pessoas se casam mudou. Pesquisas indicam que, atualmente, esse número beira os 30 anos, em oposição aos 22 da geração passada. O hábito de compartilhar o patrimônio também não é o mesmo, com mais e mais pessoas optando pela separação total de bens. 

Comércio eletrônico

Quem poderia imaginar há não muitos anos a importância e presença da internet na vida das pessoas? A rede se tornou tão popular e essencial que praticamente todos os serviços podem ser encontrados online. Hoje não é incomum escutar notícias de lojas físicas que fecharam suas portas por não terem conseguido se adaptar ao mundo online.

Por outro lado, diversas lojas expandiram seus negócios na internet, potencializando muito seu alcance e, consequentemente, suas vendas. Isso sem falar naqueles serviços que existem somente na rede de computadores. Você já parou para pensar que grandes marcas que fazem parte do seu dia-a-dia não possuem qualquer estabelecimento físico de interação com o consumidor? Pense em exemplos como a Amazon, ou serviços como o Uber – o maior provedor de veículos do mundo que não possui um carro sequer.

Luxo mais casual

Muitos pertencentes à geração Y, principalmente aqueles com maior poder aquisitivo, contribuem com a mudança na percepção do luxo, que tem se tornado cada vez mais casual. Desde jovens CEOs que preferem tênis e camiseta a o velho e tradicional terno e gravata, até restaurantes que trocaram os diversos talheres por menus com opções veganas e saudáveis.

Resumidamente, com o aumento da consciência ambiental e social, o luxo tem se transformado em uma categoria mais casual e, até mesmo, mais acessível, pois os valores têm, lentamente, de transformado.

A geração do milênio é mais consciente da vida. Jovem mulher em um fluxo.
Fonte: Pixabay

Saúde em primeiro lugar

Em certa medida conectado com o item anterior, a geração do milênio deu uma nova perspectiva no que diz respeito aos hábitos saudáveis. O número de pessoas usuárias de tabaco diminuiu consideravelmente, os cuidados com a alimentação passaram a ter maior importância – inclusive com a oferta e procura de alimentos orgânicos, e o trabalho excessivo, aos poucos, foi perdendo espaço para o bem-estar e cuidado pessoal. Ficar até às 21h no escritório não é mais motivo de orgulho.

Inovação tecnológica

A tecnologia nunca avançou tão rápido como na última década! A cada semana, recebemos notícias de inovações tecnológicas em praticamente todos os setores. São avanços computacionais, na medicina, no empreendedorismo e na indústria como um todo.

Por outro lado, isso também agravou hábitos não muito saudáveis de consumo, visto que somos bombardeados com novidades a todo momento, o que nos faz acreditar que aquilo que possuímos nunca é bom o suficiente ou já está ultrapassado.     

As redes sociais

Consequência e, ao mesmo tempo, produto do item anterior, as redes sociais dominaram as relações interpessoais. O YouTube e o Facebook, ambos criados nos anos 2000, atingiram o pico nos anos 2010. O início dos anos 2010 também viu o lançamento do Instagram e Snapchat. Todos os quatro se tornaram plataformas para blogueiros e celebridades, dando origem à chamada indústria dos influenciadores.

As redes sociais trouxeram novas oportunidades para as marcas trabalharem seus produtos, e alterou completamente a maneira como as pessoas se expõe para o mundo e se conectam umas com as outras.

A vida profissional

O ambiente de trabalho também sofreu muitas mudanças. A geração anterior se orgulhava em trabalhar horas a fio, em sustentar uma família grande e dedicar a vida ao profissional. “O trabalho enobrece”, eles diziam. Mas tudo isso mudou. A geração Y está mais preocupada com o famoso work-life balance, ou seja, não permitir que o profissional interfira no bem-estar ou no social.

Chega de tabus

Por último, diversos temas que eram considerados tabus nas gerações passadas têm sido abertamente discutidos pela sociedade, e ganharam espaço midiático nunca antes visto. Aqui, podemos citar desde as relações homoafetivas e o feminismo, até o reconhecimento de que problemas psicológicos e questões mentais são, sim, coisa séria e precisam de acompanhamento.

Além disso, conversas entre pais e filhos que envolvem temas como sexo, educação financeira, entre outros, são abordados com muito mais naturalidade e discutidos desde cedo. E você, o que acha de todas essas mudanças?